Análises 2013-08-21-153730_zps61df6e85

Published on January 27th, 2014 | by

1,967

Killzone: Mercenary

Os eventos da campanha acontecem logo após o fim do primeiro Killzone e cobre algumas partes dos eventos de “Killzone 2″ e “Killzone 3. Você controla Arran Danner, um mercenário freelancer que busca enriquecer com sua experiência como combatente militar. Como ele quer fazer isso? Cumprindo contratos de missões oferecidas não só pela ISA (a representante militar máxima dos humanos, o lado do bem na série), mas também pelos Helghast (soldados do planeta Helghan, tradicionalmente os inimigos). Só que, dessa vez, você não vai defender exatamente nenhuma facção. Tudo depende do lado que pagar mais. Não é você quem escolhe por qual quer lutar: a escolha é roteirizada, não pode ser mudada e faz parte da dinâmica de apresentação do enredo. Além disso, o combate corpo-a-corpo também ganha mais interatividade. Por exemplo, ao nos aproximarmos de um inimigo, pressionamos o botão Triângulo e iniciamos a sequência de movimentos solicitado na tela para concluirmos a execução, seja passando o dedo na tela para cima, baixo ou para os lados (Imagem 01). Como em Uncharted: Golden Abyss.

Além dessa possibilidade muito interessante a tela de toque nos oferece também alguns mini-games baseados no sistema de segurança de fechaduras eletrônicas, ao qual devemos realizar uma sequência de puzzles em um determinado período de tempo para conseguirmos avançarmos. A única queixa aqui é que os puzzles não trazem muita variedade e se tornam repetitivos.

A jogabilidade do game caiu como uma luva no PS Vita. Graças aos dois analógicos do portátil, o FPS possui uma maior mobilidade, principalmente na hora de mirar. Como não há botões R2 e L2 – como no DualShock 3 do PS3 – a solução foi posicionar teclas de atalho na própria tela touchscreen para utilizar granadas ou trocar de armas, por exemplo (Imagem 02).

1535553_655216651186884_497952109_n

Assim como um bom FPS, Killzone Mercenary conta com divertidos modos multiplayers (Imagem 03). Além dos tradicionais “Todos contra todos” (Imagem 04), ou “Time contra time” (com no máximo 8 jogadores) (Imagem 05), o game ainda traz um modo chamado Warzone (Imagem 06), que põe os jogadores em partidas com determinadas missões.

1604501_655216854520197_1026834943_n

“Killzone: Mercenary” conta com opção de dublagem, menus e legendas em português. Basta que seu PS Vita esteja configurado para nosso idioma para ativar essa opção. Se você deixar o aparelho em inglês, jogará com o áudio original.

Produzido pela Guerrilla Cambridge, Killzone Mercenary é absurdamente lindo no PlayStation Vita. É simplesmente impressionante os gráficos e todos os efeitos que acontecem de forma simultânea. Sem dúvida, um dos títulos mais bonitos que existem em um aparelho portátil.

1653797_655217001186849_1181633221_n


About the Author



1,967 Responses to Killzone: Mercenary

  1. Its such as you learn my mind! You appear to understand a lot approximately this, such as you wrote the ebook in it or something. I believe that you could do with some p.c. to pressure the message house a bit, however instead of that, that is excellent blog. A great read. I will definitely be back.